O fogo aqui tão perto

Ontem, ao fim do dia, durante algumas horas, os lisboetas sentiram o que é estar perto de um incêndio. O fumo dos incêndios que decorriam em Mafra e Torres Vedras avançou para Lisboa, criando um ambiente  desagradável e sufocante.

Nalguns locais, a visibilidade ficou bastante reduzida e o cheiro a fumo era bastante intenso.

Para quem vive em Lisboa, os incêndios de Verão são quase sempre algo distante: onde há incêndios é no campo, nas serras e nas matas.

Muitos nunca viram sequer o que fica no rescaldo desses incêndios: quilómetros e quilómetros de desolação e de perda.

Essa paisagem de serra ardida faz-me sempre sentir uma enorme raiva pela estupidez dos  pirómanos que ateiam os incêndios “pelo prazer de ver arder” e que acabam por escapar impunes à Justiça: muitos são considerados inimputáveis – maluquinhos, em português corrente…

Era bom que aquela fumarada de ontem à tarde em Lisboa fizesse os responsáveis pelas revisões do Código Penal perguntarem-se:

Não estará mais do que na altura de rever o enquadramento penal do crime de incêndio florestal, bem como a facilidade com que um mui douto Juiz decreta a inimputabilidade destes incendiários?

 

 

 

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s